Questões

Total de Questões Encontradas: 18.575

Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Um Auditor Fiscal da área de Tecnologia da Informação ao usar o Oracle 11g release 2 está enfrentando alguns problemas de disponibilidade causados por falhas em um servidor que executa uma aplicação personalizada. Para resolver o problema, sugeriu o uso de um recurso Oracle que permite executar essa aplicação em um conjunto de servidores em cluster de forma que se ocorrer uma falha em um deles, o Oracle continue a execução nos servidores restantes, garantindo assim os índices de disponibilidade esperados. O recurso Oracle correto sugerido pelo Auditor é conhecido como Oracle
A
RAC.
B
BACULA.
C
OAC.
D
RMAN.
E
OLTP.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
“A Secretaria da Fazenda realizou procedimento que visa estimular os contribuintes paulistas a, voluntariamente, regularizarem as obrigações tributárias que devem ser transmitidas ao Fisco. Em uma etapa da operação foram selecionados 48 contribuintes do Regime Periódico de Apuração com R$ 143 milhões em débitos de ICMS.

Esta ação tem caráter orientador, com o objetivo de alertar as empresas sobre divergências em suas declarações e indicar a regularização, porém, a ação pode resultar em indicações de empresas de fachada que apresentaram um conjunto de indícios que sugerem tratar-se de documentos fiscais inidôneos ou de simulação de operações para gerar créditos falsos de ICMS na apuração mensal do tributo a recolher.

Para a elaboração da operação autorregularização foram selecionados contribuintes com divergências nas notas fiscais emitidas entre janeiro a dezembro de 2016 em comparação com as informações declaradas nas Guias de Informação e Apuração do ICMS do mesmo período."
(Baseado em: https://portal.fazenda.sp.gov.br)
Ao ler esta notícia, uma Auditora Fiscal da área de TI concluiu, corretamente, que o cruzamento e a análise simultânea de diversas informações, como Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), inadimplência, regularidade no cumprimento de obrigações, porte da empresa, composição do quadro societário, autos de infração anteriores, localização geográfica e atividade econômica, entre outras,
A
caracterizam-se como operações MOLAP, que usam a base de dados relacional para acessar os dados do cubo.
B
caracterizam-se como operações HOLAP, que não usam a base de dados relacional para acessar os dados do cubo.
C
podem ter sido realizados com a ajuda de ferramentas de Data Marts integrados, que não requerem a construção de um DW.
D
podem ter sido realizados com ferramentas de Data Mining em tempo real, uma vez que os dados do DW são constantemente atualizados a partir da chave de tempo que indica o dia no qual os dados foram extraídos dos sistemas transacionais.
E
podem ter sido realizados com a ajuda de ferramentas de Data Mining, que permitem a exploração de grandes volumes de dados para identificar padrões de comportamento e relacionamentos.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
Suponha que uma Auditora Fiscal da área de TI tenha proposto a seguinte modelagem multidimensional para a SEFAZ-BA:
Imagem Associada da Questão
A modelagem multidimensional proposta
A
é o resultado da decomposição de mais de uma dimensão que possui hierarquias entre seus membros, caracterizando o modelo snowflake, a partir de um fato central.
B
tem como característica um fato central, a partir do qual estão dispostas as dimensões que dele participam, em um formato simétrico, característico do modelo star.
C
parte de um elemento central, denominado pivot, a partir do qual são realizadas operações OLAP como roll up, em que busca-se aumentar o nível de detalhe ou diminuir a granularidade da consulta.
D
possui um fato central, a partir do qual estão dispostas as dimensões que dele participam e seus membros, sob uma única estrutura hierárquica, facilitando a inclusão de dados por digitação nas tabelas do DW.
E
não é um modelo normalizado, por isso evita a redundância de valores textuais em cada uma das tabelas, representadas pelas dimensões denominadas dimension tables.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
Um Auditor da SEFAZ-BA, observando as necessidades da organização, propôs um Data Warehouse (DW) com as seguintes características:
-na camada de dados resumidos ficam os dados que fluem do armazenamento operacional, que são resumidos na forma de campos que possam ser utilizados pelos gestores de forma apropriada.
-na segunda camada, ou no nível de dados históricos, ficam todos os detalhes vindos do ambiente operacional, em que se concentram grandes volumes de dados.

Com esta organização, os tipos de consulta analítica de maior frequência acessariam os dados resumidos, mais compactos e de mais fácil acesso e, em situações em que seja necessário um maior nível de detalhe, utilizar-se-iam os dados históricos.
O Auditor propôs um DW
A
que oferece maior nível de detalhes, ou seja, alto nível de granularidade.
B
que oferece menor nível de detalhes, ou seja, baixo nível de granularidade.
C
com nível duplo de granularidade.
D
com OLAP integrado.
E
com data marts geminados.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Suponha que uma Auditora Fiscal da área de TI atue na etapa de testes e avaliação da qualidade de um software em desenvolvimento. Como o software sofria alterações a cada nova funcionalidade a ele incorporada, a Auditora propôs que a equipe de testes adotasse como padrão um tipo de teste que garantisse que as mudanças recentes no código deixassem o resto do código intacto, visando impedir a introdução de erros. A equipe decidiu realizar um tipo de teste para testar a parte modificada e as áreas adjacentes que podem ter sido afetadas, dentro de uma abordagem baseada em risco. Assim, os testadores destacariam as áreas de aplicação que poderiam ser afetadas pelas recentes alterações de código e selecionariam os casos de testes relevantes para o conjunto de testes. Procedendo desta forma, seriam realizados testes
A
de Revisão de Funcionalidade.
B
Gama.
C
de Aceite Operacional.
D
de Regressão.
E
de Caixa-preta.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
Considere o procedimento apresentado na figura a seguir, no qual são utilizados documentos consistentes e adequados capazes de definir, registrar e prover condições de análise dos resultados obtidos ao longo do processo de testes de software.
Imagem Associada da Questão
Na etapa de Registro do Teste, I corresponde ao
A
Registro de Testes Verde-Vermelho e II corresponde aos Critérios para Homologação de Teste.
B
Log de Teste e II corresponde ao Relatório de Incidentes de Teste.
C
Gap de Teste e II corresponde à Refatoração de Testes.
D
Registro de Testes Funcionais e Não Funcionais e II corresponde ao Relatório de Análise Ciclomática de Teste.
E
Relatório de Testes de Usabilidade e II corresponde ao Relatório de Testes Sincronizados.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
Considere um cenário composto pelas ações elencadas a seguir.
I. Auditora 1 trava o arquivo para edição.
II . Enquanto Auditora 1 edita o arquivo, Auditora 2 tenta travá-lo e falha.
III . Auditora 2 edita o arquivo sem travá-lo, inclui suas modificações e publica o arquivo.
IV. Auditora 1 publica sua versão e destrava o arquivo.
V. Agora Auditora 2 consegue travar o arquivo e atualizá-lo com suas modificações.
VI. Auditora 1 atualiza sua versão, pegando o arquivo apenas para leitura.
Nesse caso, a política de gerência de configuração e mudança de software é do tipo
A
otimista, que enfatiza o uso de check-out reservado, fazendo bloqueio e inibindo o paralelismo do desenvolvimento sobre o mesmo artefato.
B
pessimista, que enfatiza o uso de check-out reservado, fazendo bloqueio e inibindo o paralelismo do desenvolvimento sobre o mesmo artefato.
C
otimista, pois permite que o artefato seja alterado simultaneamente por Auditora 1 e Auditora 2, e usa o mecanismo de check-in para unir as modificações efetuadas em paralelo.
D
otimista, que evita que conflitos ocorram quando a mesma região ou linha do arquivo é modificada.
E
pessimista, pois utiliza o mecanismo de junção automática quando o artefato é modificado simultaneamente.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Texto Associado Texto Associado
Suponha que uma Auditora Fiscal da área de TI da SEFAZ-BA faz parte da equipe de Gestão de Riscos de Segurança da Informação. Para que possa haver eficácia na descoberta das consequências para os ativos e dos possíveis impactos sobre os negócios da organização, a Auditora procedeu a uma atividade que teve como um dos resultados a lista a seguir:

 
- um Auditor Tributário não estava usando crachá;
- o firewall não estava bloqueando a porta 1521 na máquina da sala de reuniões 2;
- um curto-circuito ocorreu no estabilizador naquela tarde;
- fazia 2 meses que o backup do banco de dados SEFAZ3 não era realizado;
- a chave da sala de servidores havia sumido;
- faltou energia na sala da cobertura do prédio ontem;
- o alarme de detecção de intrusos estava quebrado.
Essa lista
A
é resultante da etapa de Levantamento de Ativos de Informação, que pode empregar técnicas como entrevistas e brainstorm.
B
faz parte da etapa de Identificação de Controles Existentes e Planejados, efetuada depois da Identificação de Vulnerabilidades e após a Identificação de Riscos.
C
é obtida a partir da etapa de Identificação de Vulnerabilidades. Uma vulnerabilidade é uma causa potencial de um incidente indesejado, que pode resultar em dano para um sistema ou para a organização
D
resulta da etapa de Identificação de Riscos, que lista os riscos, ou seja, as fragilidades de um ativo ou grupo de ativos que podem ser exploradas por uma ou mais ameaças.
E
é resultante da etapa de Análise de Eventos. A compreensão dos eventos que ocorrem no ambiente da organização é essencial para que os riscos sejam avaliados com maior precisão.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Solicitou-se a um Auditor Fiscal da área de TI definir como a análise SWOT está referenciada nas práticas do CMMI versão 1.3. Ele afirmou corretamente que a análise SWOT é recomendada
A
como uma Prática Genérica de Treinamento de Pessoas, cujo objetivo é garantir que as pessoas tenham as habilidades e conhecimentos necessários para suportar o processo.
B
como uma Meta Genérica, uma vez que a declaração de objetivo para a realização deste tipo de análise se aplica exclusivamente a uma única área de processo.
C
uma única vez, como uma Prática Específica para Estabelecer uma Política Organizacional, que visa realizar o planejamento e a execução de um processo.
D
diversas vezes, como Prática Específica em diferentes áreas de processo contidas na representação contínua, visando ao alcance do nível de maturidade 4 - Quantitativamente Gerenciado.
E
mais de uma vez, como Meta Específica em diversas áreas de processo contidas na representação por estágio, visando ao alcance do nível de capacidade 1 - Performado.
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEFAZ-BA Prova: Auditor Fiscal - Tecnologia da Informação
Uma Auditora Fiscal da área de TI está trabalhando em um projeto de uma organização com base nas práticas recomendadas pelo Modelo de Referência MPS para Software (MR-MPS-SW) 2016. As atividades por ela desenvolvidas incluem: determinar o escopo e as estratégias da gerência de riscos; identificar, priorizar, classificar e documentar os riscos do projeto; desenvolver os planos para mitigação e monitoramento de riscos; executar ações apropriadas para corrigir ou evitar o impacto dos riscos.
Conclui-se, corretamente, que
A
já foram implementados todos os processos do nível BGerenciado Quantitativamente.
B
a Auditora está trabalhando no processo Gerência de Riscos, que encontra-se no nível DLargamente Definido.
C
as atividades da Auditora indicam que a organização está em busca de obter o nível de maturidade CDefinido.
D
as atividades da Auditora indicam que a organização encontra-se no nível de maturidade DDefinido.
E
a Auditora está trabalhando no processo Avaliação de Riscos, que possui o atributo de processo AP 5.2 “o processo é objeto de implementação de melhorias inovadoras e incrementais”.
Página 6 de 1858